CO2 na atmosfera pode atingir níveis nunca vistos nos últimos 15 milhões de anos


Pesquisadores da Universidades de Southampton, na Inglaterra, demonstraram que a quantidade de dióxido de carbono na atmosfera terrestre alcançará em 2025 um nível nunca visto nos últimos 15 milhões de anos.


Segundo o estudo, publicado na Nature Scientific Reports, a atmosfera terrestre apresenta hoje uma concentração de 415 partes por milhão (ppm) e se assemelha ao pico de temperatura observado no período Plioceno, há 3,3 milhões de anos, quando havia entre 380 e 420 ppm. Atualmente, a concentração de CO2 na camada de gases que envolve o planeta sobe 2,5 partes por milhão (ppm) a cada 12 meses. Isso nos levaria a 425 ppm já em 2025.


O Plioceno é o período entre 2,5 e 5,3 milhões de anos atrás e seu período mais quente apresentava temperaturas globais cerca de 3 ° C mais quentes que as pré-industriais e o nível do mar até 20 m superior ao atual. Isto, devido, em grande parte, à uma quantidade menor de gelo na Groenlândia e Antártica.

Como muitas outras condições tectônicas eram semelhantes (mas não idênticas) às de hoje, a época do Plioceno e o período quente do Piacenzio (entre 3 a 3,3 milhões de anos atrás), em particular, são períodos úteis para estudos de validação de modelos climáticos.


Os pesquisadores analisaram a composição química de fósseis minúsculos, do tamanho de uma cabeça de alfinete, coletados em sedimentos no fundo do mar do Caribe para descobrirem a concentração de dióxido de carbono do passado. Esses dados foram usados para reconstruir a concentração de CO2 na atmosfera da Terra durante o Plioceno.


Segundo os autores, a pesquisa sobre a concentração de CO2 do passado é um importante guia do que provavelmente acontecerá no futuro.

0 visualização

© 2016 por Cumulus TV.