Posts Recentes
Posts Em Destaque

Tubarões estão funcionalmente extintos em um em cada cinco recifes de coral


No artigo "Status global e potencial de conservação dos tubarões de recife", publicado no último dia 22 de julho na revista Nature, pesquisadores da Global FinPrint revelam que os tubarões estão ausentes em muitos dos recifes de coral do mundo, indicando que eles estão raros demais para cumprirem a sua função normal no ecossistema e se tornaram "funcionalmente extintos". Dos 371 recifes pesquisados em 58 países, não foram observados tubarões em quase 20%, indicando um declínio generalizado que não tinha sido documentado em tal escala até agora. O levantamento também identificou medidas de conservação que podem levar à recuperação desses predadores tão importantes para a saúde do oceano. "


Ao longo de quatro anos, a equipe capturou e analisou mais de 15.000 horas de vídeos gerados por estações subaquáticas remotas com isca (BRUVS), que consistem em uma câmera de vídeo colocada na frente de uma isca comum. Ecossistemas de recifes de corais foram pesquisados em quatro importantes regiões geográficas: Indo-Pacífico, Pacífico, Atlântico Ocidental e Oceano Índico Ocidental.. O trabalho foi conduzido por centenas de cientistas, pesquisadores e conservacionistas organizados por uma rede de colaboradores da Florida International University, Australian Institute of Marine Science, Curtin University, Dalhousie University e James Cook University.

Essencialmente, não foram detectados tubarões em nenhum recife de seis nações: República Dominicana, Índias Ocidentais Francesas, Quênia, Vietnã, Antilhas Holandesas de Barlavento e Catar. Na soma desses locais, apenas três tubarões foram observados em mais de 800 horas de pesquisa.


Essa referência para a situação dos tubarões de recife em todo o mundo revela uma perda global alarmante dessas espécies icônicas que são importantes recursos alimentares, atrações turísticas e predadores de topo de cadeia em recifes de corais. A perda deve-se em grande parte à pesca excessiva de tubarões, principalmente com práticas pesqueiras destrutivas como o uso de espinhéis e redes de emalhe.


O estudo revelou vários países onde a conservação de tubarões está funcionando, além de ações específicas que podem funcionar. Entre os países com melhor desempenho em comparação com a média da sua própria região, estão Austrália, Bahamas, Micronésia, Polinésia Francesa, Maldivas e Estados Unidos. Essas nações refletem atributos-chave que se descobriu que estão associados a populações mais elevadas de tubarões: serem geralmente bem governadas, além de proibirem toda a pesca de tubarão ou terem um gerenciamento forte, baseado na ciência, limitando a quantidade de tubarões que podem ser capturados.

Sobre a Global FinPrint A Global FinPrint é uma iniciativa da Paul G. Allen Family Foundation. É liderada pela Florida International University e apoiada por uma coalizão global de organizações parceiras que abrange pesquisadores, financiadores e grupos de conservação. O projeto representa o maior e mais abrangente programa já compilado de coleta e análise de dados das populações mundiais de tubarões e arraias associados a recifes.

Arquivo

© 2016 por Cumulus TV.