QUEM SOMOS

Promovemos a conservação ambiental, com ênfase em ambientes marinhos e costeiros, sensibilizando as pessoas através da educomunicação, desenvolvendo pesquisas científicas, realizando eventos e ações diretas. Sonhamos que, um dia, toda educação seja ambiental.  
 
 Mergulhamos, literalmente, contra o lixo marinho e trazemos para a superfície mais do que os resíduos coletados, mas também informações que podem ajudar a entender a origem deste material em cada ponto especificamente. Agir localmente e contribuir contra um problema global.

O Projeto Verde Mar nasceu em 2014 a partir de uma iniciativa do jornalista e ambientalista Caio Salles, com o principal objetivo de divulgar iniciativas relacionadas à questões socioambientais.

 

"Como jornalista, trabalhei muitos anos em canais de televisão e me encontrei em um momento da vida que queria fazer algo relevante, que deixasse um legado para um ambiente que tenho uma paixão desde pequeno, que é o mar. Como na época não tinha muito ideia de como começar, achei que a melhor alternativa seria usar minha expertise na comunicação para divulgar o que já se fazia".

Com o tempo, começamos a reunir amigos para fazer mergulhos e coletar resíduos sólidos subaquáticos. Em todas as ações, produzíamos fotos, vídeos e um relatório com o tipo de resíduo coletado. Estes dados passaram a integrar uma pesquisa de mestrado na área das Ciências Ambientais, dentro do programa de Ecoturismo e Conservação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO). O conteúdo produzido era divulgado nas redes sociais e começou a atrair mais gente para participar das ações e tornar o projeto maior, agregando outras frentes de trabalho,

 

Atualmente, trabalhamos em quatro eixos fundamentais:

Ações Socioambientais - Realizamos uma vez por mês ações de coleta de resíduos do fundo do mar com mergulhadores e mutirões de limpeza de praia e do costão rochoso na Praia Vermelha, no Rio de Janeiro. Este foi o local que adotamos, com o compromisso de realizar uma ação por mês, mas também fazemos atividades em outras praias e ilhas, - Arpoador, Copacabana, Leblon, Barra da Tijuca, Ilhas Cagarras, etc -, e outras regiões, - Cabo Frio/RJ, Angra dos Reis/RJ, Tamandaré/PE, entre outras -.

Pesquisa científica -  Os dados coletados durante essas ações, com a quantidade e tipo de resíduo encontrado, fazem parte de minha pesquisa de mestrado e integram o banco de dados mundial do Project Aware (www.projectaware.org), que realiza o programa Dive Against Debris.

Educação - Durante as ações socioambientais realizamos atividades de sensibilização e educação ambiental em parceria com outros projetos de conservação ambiental. Além disso, levamos o projeto a escolas, empresas e universidades em cursos e palestras sobre lixo marinho e conservação ambiental em geral;

Comunicação - A comunicação é um dos principais eixos do projeto e permeia todos os outros. Além das redes sociais e site atualizado com notícias e informações sobre conservação ambiental, sustentabilidade, ecoturismo e pesquisas científicas, produzimos um programa ao vivo na internet toda segunda, quarta e sexta de manhã, com o objetivo de divulgar pesquisas realizadas na área ambiental e trazer notícias e informações em geral. Todas ações que realizamos, resultados da pesquisa e as atividades de educação são divulgadas para que ganhem amplitude maior e atinjam mais pessoas do que as diretamente impactadas pelas atividades.

 

A partir dos dados da pesquisa científica e das ações realizadas, mantemos contato com órgãos de gestão ambiental do poder público, como Secretarias de Meio Ambiente e educação, para desenvolvermos propostas de políticas públicas que visem a conservação de ambientes marinhos e costeiros. Um destes projetos está em andamento junto à prefeitura do Rio de Janeiro, que é a criação do Santuário Marinho da Paisagem Carioca, com o objetivo de realizarmos atividades de monitoramento do lixo marinho e da biodiversidade da área onde realizamos nossas ações e que compreende uma Unidade de Conservação Marinha de Proteção Integral sob a gestão do município. 

Também com as atividades de educomunicação, buscamos, mais do que alertar para os problemas relacionados à conservação ambiental, mostrar as belezas que são encontradas nos ambientes naturais e promover uma reconciliação do ser humano com a natureza. Por isso, promovemos atividades educativas com passeios de barco pela Baía de Guanabara, mergulhos contemplativos, documentários e séries de vídeos para a tv e internet com o objetivo de despertar um sentimento de pertencimento nas pessoas. Sentindo-se parte dos ambientes naturais e encantadas por sua beleza, as pessoas ficam mais propícias a protege-las. 

 

Com a impossibilidade de realizarmos as atividades presenciais por conta da pandemia, estamos completamente focados nas ações de educomunicação. 

O programa ao vivo três vezes por semana tem sido um diferencial na área e queremos fortalecê-lo nos próximos meses. A ideia é consolidá-lo como uma referência para notícias e informações sobre questões socioambientais, sustentabilidade, ecoturismo e pesquisas científicas. Para isso, também estamos em busca de apoiadores que garantam um mínimo de estrutura para a produção do programa.

Em paralelo, seguimos com a pesquisa científica sobre o lixo marinho submerso e a relação com mergulhadores e pessoas que utilizam o mar para turismo e lazer. 

Finalmente, mas não menos importante, também estamos em busca de apoios para a realização, em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente da prefeitura do Rio de Janeiro, do monitoramento de biodiversidade e lixo marinho na região do Parque Natural Municipal da Paisagem Carioca.

© 2016 por Cumulus TV.