Posts Recentes
Posts Em Destaque

A “migração” de peixes através da ingestão de ovos por pássaros



Uma equipe de pesquisadores do Instituto de Pesquisa do Danúbio e do Centro Nacional de Pesquisa e Inovação Agrícola, ambos na Hungria, e a Estação Biológica de Doñana, Conselho Superior de Investigações Científicas da Espanha, informam que é possível que os ovos de peixes sobrevivam à viagem através do aparelho digestivo de pássaros e posteriormente eclodir. Em artigo publicado em Proceedings of the National Academy of Sciences, o grupo descreve seus experimentos com pássaros e ovos de peixes e o que eles encontraram.

Os peixes foram encontrados nadando em lagos extremamente isolados ao longo dos anos, levantando a questão de como eles chegaram lá. Pesquisas anteriores mostraram que a maioria desses peixes está relacionada a espécies encontradas em outras áreas menos isoladas, o que sugere que peixes em locais isolados devem ter de alguma forma migrado para lá. Os cientistas sugeriram que a explicação mais óbvia para essa migração é o consumo de ovos de peixes pelas aves que os carregam no aparelho digestivo e os depositam em um novo local quando defecam. Surpreendentemente, ninguém tinha pensado em testar essa teoria até agora.


O trabalho envolveu a alimentação de ovos de peixes para os pássaros, recuperá-los de suas fezes e testá-los em uma incubadora para ver se eles eclodiriam. Mais especificamente, os pesquisadores alimentaram oito patos-reais com 500 ovos de peixes cada um de dois tipos de peixe (carpa prussiana e comum). Eles esperaram que os patos defecassem (o que levava apenas uma hora em média). Eles então contaram o número de ovos que encontraram e foram capazes de recuperar.


Os dados da pesquisa mostraram que seis dos patos tinham ovos viáveis em seus excrementos - num total de 18 deles. Apenas 12 dos ovos foram considerados viáveis o suficiente para mais testes. Dos 12, apenas dois nasceram - um prussiano, um comum. Os números mostraram uma taxa de sobrevivência de 0,2 por cento. Os pesquisadores afirmam que não são muito altos, mas altos o suficiente, para mostrar que é possível migrar peixes no trato digestivo das aves - eles observam que, para algumas espécies de carpa, apenas uma é suficiente, porque se sabe que elas se reproduzem assexuadamente.

Arquivo

© 2016 por Cumulus TV.