Óleo volta a aparecer no litoral nordestino

Fragmentos de óleo voltaram a aparecer em praias de Alagoas e Pernambuco durante a semana passada. Além do óleo, fardos de borracha também foram encontrados em Maceió. Os fragmentos foram encontrados em Coruripe e Jequiá da Praia, em Alagoas, e em Porto de Galinhas, Ipojuca e Tamandaré, em Pernambuco. O material foi encontrado no primeiro dia que as praias do estado de Pernambuco foram abertas após a pandemia do novo coronavírus. Segundo nota divulgada pela Marinha do Brasil, esse ressurgimento é decorrente do desprendimento de resíduos que se encontravam no assoalho oceânico próximo à linha de costa, nos costões, mangues ou mesmo no sedimento arenoso de praias, em profundidade, e por causa

Mano Brown: "Eles matam nosso povo pela boca"

Durante uma conversa online entre o rapper Mano Brown e o médico Drauzio Varella, o líder do Racionais MCs falou sobre como a desigualdade social não dá opção às populações mais pobres, principalmente nas grandes cidades, de uma escolha por um tipo de alimentação mais saudável e livre de agrotóxicos.

Nuvem de gafanhotos se aproxima do Brasil

O APARECIMENTO DE UMA NUVEM DE GAFANHOTOS NA ARGENTINA ASSUSTOU PRODUTORES RURAIS, ASSIM COMO ENTIDADES DO GOVERNO ARGENTINO.// NA ULTIMA SEGUNDA-FEIRA, O SERVIÇO NACIONAL DE SAÚDE E QUALIDADE AGROALIMENTAR (SENASA) DA ARGENTINA PUBLICOU UM MAPA COM ALERTA, QUE INCLUI REGIÕES DA FRONTEIRA OESTE DO RIO GRANDE DO SUL.// O ASSUNTO FOI UM DOS MAIS COMENTADOS ESTA SEMANA NAS REDES SOCIAIS, MAS APESAR DO INUSITADO, NÃO É UMA SITUAÇÃO INÉDITA.// EXISTEM REGISTROS NO BRASIL DESTE TIPO DE FENOMENO DESDE O SECULO 19 E JA CAUSOU GRANDES PERDAS NAS LAVOURAS DE ARROZ NA REGIAO SUL DO PAIS NAS DECADAS DE 1930 E 1940.// PARA SE TER UMA IDEIA DA DIMENSÃO AVASSALADORA DESSE FENOMENO, EM APENAS UM DUIA, A NUV

Informação e conservação para crianças

Durante a quarentena causada pela pandemia do novo coronavírus, a equipe do Lacos21 tem realizado várias intervenções sociais e dado seguimento aos trabalhos de divulgação científica. Nos últimos meses, foram lançadas três novas iniciativas: a campanha #FiqueEmCasaComCiência, para estimular os pesquisadores a compartilharem o andamento de seus projetos enquanto durar o distanciamento social; o Criança com Ciência e o desenho ‘Mar à Vista’, com o objetivo de ensinar as crianças sobre a importância da conservação ambiental e para ajudar na formação de adultos mais conscientes. Tanto oMar à Vista!quanto oCriança com Ciência são publicados no perfil doLacos21 no YouTube.

A “migração” de peixes através da ingestão de ovos por pássaros

Uma equipe de pesquisadores do Instituto de Pesquisa do Danúbio e do Centro Nacional de Pesquisa e Inovação Agrícola, ambos na Hungria, e a Estação Biológica de Doñana, Conselho Superior de Investigações Científicas da Espanha, informam que é possível que os ovos de peixes sobrevivam à viagem através do aparelho digestivo de pássaros e posteriormente eclodir. Em artigo publicado em Proceedings of the National Academy of Sciences, o grupo descreve seus experimentos com pássaros e ovos de peixes e o que eles encontraram. Os peixes foram encontrados nadando em lagos extremamente isolados ao longo dos anos, levantando a questão de como eles chegaram lá. Pesquisas anteriores mostraram que a maior

Algodão tingido e microplástico no Ártico

Não é só de microplástico que "vive" o lixo do Ártico. Em estudo publicado na revista Facets, pesquisadores da Universidade de Toronto, no Canadá, liderados por Chelsea Rochman, revelaram que microplásticos - fragmentos de plástico menores que cinco milímetros - e outros pequenos pedaços de detritos gerados pelo homem estão presentes em 90% dos estudos sobre água e plâncton e 85% das amostras de sedimentos. No entanto, além do microplástico, que já não é uma grande surpresa ser encontrado nos mais remotos cantos do planeta, os pesquisadores ficaram intrigados com a cor dos detritos encontrados nas amostras, que revelaram um outro tipo de material: algodão tingido. O estudo coletou amostras d

CO2 emitido pelo derretimento do permafrost pode ser maior do que o esperado

Os modelos de mudança climática subestimaram a quantidade de dióxido de carbono que será emitida pelo degelo do permafrost em até 14%, de acordo com um novo estudo publicado na revista Geophysical Research Letters. A pesquisa incorpora um caminho fundamental para que o CO2 entre na atmosfera, que está faltando em outros modelos: quando o carbono do degelo permafrost é liberado nas vias navegáveis ​​e convertido em CO2 pela luz solar. Os cientistas estimam que existem cerca de 1.500 bilhões de toneladas métricas de carbono trancadas no permafrost do Ártico, e que 5 a 15% desse carbono poderá ser emitido como dióxido de carbono até 2100 - o suficiente para aumentar as temperaturas globais de 0

Menos uma área marinha protegida no mundo

Enquanto a maioria dos olhos estava em outro lugar na semana passada, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, assinou um decreto para remover as restrições de pesca dentro do Monumento Nacional Marinhoo de Canyons e Seamounts. A área marinha protegida de 4.900 quilômetros quadrados ao largo da costa da Nova Inglaterra abriga inúmeras espécies ameaçadas de extinção e frágeis recifes de corais. O anúncio ocorreu no final da tarde de sexta-feira, em uma semana de protestos contra o racismo sistêmico no meio de uma pandemia. Estabelecido pelo presidente Barack Obama em 2016, o monumento representa apenas cerca de 1,5% da Zona Econômica Exclusiva dos EUA no Oceano Atlântico, mas abrange a

Guia prático de educação ambiental com crianças

O Projeto Na Areia (@naareia_) lançou neste mês de junho o livro eletrônico (e-book) “Brincando com os sentidos - Um passeio na floresta” com propostas de atividades de educação ambiental pensadas para serem praticadas com crianças de quatro a dez anos de idade, podendo ser adaptadas de acordo com cada faixa etária. A publicação é um produto feito a seis mãos, numa parceria entre os egressos do mestrado em Ecoturismo e Conservação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO, Bernard Wollman, Paula Kreimer e Inéz Goméz Menéndez, com a revisão de conteúdo do professor Daniel Andrade. ‘’A natureza não está tão longe assim, tem um monte aqui dentro de mim e de ti!’’ Inés Gómez A

ICMBio lança guia ilustrado sobre comportamento de peixes-boi

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) elaborou uma publicação para ajudar na identificação e interpretação do comportamento de peixes-bois. O texto se utiliza de uma linguagem simples, com ilustrações didáticas sobre o tema para orientar estudantes, profissionais e o público em geral. A proposta do guia é mostrar as atividades da espécie, além de uma padronização de interpretação sobre as observações dos pesquisadores. O Comportamento de Peixes-bois – Guia Ilustrado traz capítulos sobre o comportamento da espécie em relação ao contato, alimentação, reprodução, movimentação, descanso, aspectos clínicos, entre outros. Os sirênios são mamíferos aquáticos e, no Brasi

Está chovendo microplástico!

Em estudo publicado na revista Science, pesquisadores demonstraram que mais de mil toneladas métricas de partículas microplásticas caem nos Parques Nacionais e terras protegidas por ano somente na região oeste dos Estados Unidos. Isso equivale a até 300 milhões de garrafas plásticas. Pesquisadores estimam em onze bilhões de toneladas a quantidade de plástico que vai se acumular no ambiente até 2025 e grande parte desse plástico, acaba como poluente. No relatório, intitulado "Chuva plástica em áreas protegidas dos Estados Unidos", os cientistas revelaram que esses plásticos secundários (microplásticos) são encontrados em "quase todos os ecossistemas do planeta". Os pesquisadores descobriram q

Novas descobertas sobre a "Grande Morte" do Planeta há 252 milhões de anos

Um novo estudo mostra pela primeira vez que o colapso dos ecossistemas terrestres durante o evento de extinção em massa mais mortal da Terra foi diretamente responsável por interromper a química dos oceanos. O estudo internacional, liderado pela Universidade de Leeds, destaca a importância de entender a interconexão dos ecossistemas à medida que nosso ambiente moderno luta com os efeitos devastadores de um planeta em rápido aquecimento. A extinção do período Permiano-Triássico, também conhecida como a Grande Morte, ocorreu cerca de 252 milhões de anos atrás e causou a perda estimada de 90% das espécies marinhas, 70% das espécies terrestres, perda generalizada da diversidade de plantas e extr

Novo recorde de desmatamento na Amazônia

O desmatamento continuou a crescer na Amazônia brasileira no mês passado, segundo dados oficiais divulgados sexta-feira, mostrando que foi o pior maio da série histórica e o pior dos primeiros cinco meses do ano registrados até agora. Apesar da pandemia, 2020 está a caminho de ser o ano mais destrutivo de todos os tempos para a maior floresta tropical do mundo, com perdas ainda maiores do que em incêndios devastadores que provocaram protestos globais no ano passado. "Estamos diante de um cenário de catástrofe total para a Amazônia", disse Mariana Napolitano, diretora científica do WWF Brasil, em comunicado. Um total de 829 quilômetros quadrados na Amazônia brasileira foi perdido para o desma

Descoberto primeiro berçário de tubarão branco pré-histórico na costa da América do Sul

Pesquisadores demonstraram, em artigo publicado no Scientific Reports da revista Nature, que um dos principais predadores nos oceanos de hoje usa áreas de berçário há milhões de anos, destacando sua importância como habitats essenciais para a sobrevivência de tubarões a longo prazo. Apesar do rico registro fóssil do grande tubarão branco moderno (Carcharodon carcharias), seu uso de áreas de berçário através destes registros nunca havia sido feito antes. Os pesquisadores analisaram o registro fóssil do tubarão branco de três localidades na América do Sul. Foram avaliadas a distribuição do tamanho corporal e aplicados critérios previamente estabelecidos para identificar os chamados paleo-berçá

Primeiro registro de cefalópode abaixo dos 6mil metros de profundidade

Dois pesquisadores, um da Universidade de Newcastle, no Reino Unido, e outro do Museu Nacional de História Natural de Washington DC, capturaram vídeos de um cefalópode no nível mais profundo do oceano já observado. Em artigo publicado na revista Marine Biology, Alan Jamieson e Michael Vecchione descrevem como eles usaram "landers" para capturar vídeos remotamente no fundo do Oceano Índico e o que encontraram. O termo "lander" refere-se a um tipo de suporte com câmeras subaquáticas afixadas a ele - esses suportes são projetados para pousar firmemente no fundo do oceano. Nesse novo esforço, os pesquisadores enviaram uma sonda para dois locais no fundo da Fossa de Java, no Oceano Índico. Um a 5

64 Mil tartarugas juntas na Austrália

Uma equipe de pesquisadores do Departamento de Meio Ambiente e Ciência (DES) de Queensland capturou as imagens dos drones acima da ilha de Raine, que também é a maior colônia de reprodução de tartarugas verdes do mundo. No entanto, essa filmagem pode ser um pouco enganadora. Embora pareça que os números de tartarugas estão prosperando, os pesquisadores explicam que esses pequenos rapazes estão em perigo. "Ficamos cientes de que, embora existam agregações massivas, a reprodução não está funcionando tão bem", disse à CNN o Dr. Andrew Dunstan, que trabalha para o DES. Como Dunstan explicou, a equipe realmente testemunhou as tartarugas caírem de penhascos e viu seus ninhos serem inundados. Para

Circuito Penedo de Cinema e Mostra Velho Chico de Cinema Ambiental abrem inscrições

Foram abertas as inscrições para a 7ª Mostra Velho Chico de Cinema Ambiental, evento que o Projeto Verde Mar esteve participando nos dois últimos anos, com dois documentários selecionados para a mostra competitiva. O evento faz parte do Circuito Penedo de Cinema, que, em sua décima edição, será realizado entre os dias 23 a 29 de novembro, na cidade de Penedo, em Alagoas. Apesar da pandemia, a organização está confiante na possibilidade de realizar o evento presencialmente na cidade Penedo. No entanto, no caso da necessidade da manutenção do isolamento social e a limitação na realização de eventos que promovam algum tipo de aglomeração pública, a Comissão Organizadora do Circuito Penedo de Ci

Biodiversidade aumenta as funções do ecossistema em recifes de coral

CREDIT: JAYNE JENKINS / CORAL REEF IMAGE BANK Uma pesquisa publicada recentemente na revista Nature Ecology and Evolution mostra que há relações positivas entre biodiversidade e funcionamento do ecossistema. O estudo destaca a importância da conservação da diversidade biológica para manter as principais funções do ecossistema e serviços associados. Usando grupos remotos de peixes de recife de coral, os pesquisadores demonstraram fortes relações da biodiversidade com duas funções do ecossistema: biomassa e produtividade. Essas relações positivas foram robustas tanto a uma onda de calor extrema, que desencadeou o branqueamento de corais, quanto a ratos invasores, que predam os ovos de aves mar

Grandes peixes herbívoros impulsionam a evolução das espécies

Um novo estudo, publicado pela revista Nature, revela que as dietas dos peixes de recife determinam a rapidez com que diferentes espécies evoluem. A inovação acrescenta outra peça ao fascinante quebra-cabeça evolucionário dos recifes de coral e dos peixes que vivem neles. Segundo os pesquisadores da Universadade James Cook, na Austrália, até agora, só se sabia que muitos fatores poderiam ter influenciado o ritmo da evolução dos peixes de recife, mas esses fatores nunca foram examinados por completo e ao construir uma 'árvore da vida' evolutiva para quase todos os peixes associados aos recifes, puderam examinar a variação nas taxas de formação de espécies e perguntar o que a impulsiona. Essa

Apesar da pandemia, CO2 continua se acumulando na atmosfera

Os níveis de dióxido de carbono na atmosfera atingiram seu pico anual no mês de maio e, mais uma vez, foram os mais altos da história da humanidade. Apesar do colapso econômico resultante da pandemia de coronavírus, que levou a quedas acentuadas nas emissões de dióxido de carbono, a quantidade de gases de efeito estufa continuou a subir. A média mensal de maio foi de 417,2 partes por milhão, de acordo com cientistas do Scripps Institution of Oceanography da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos. Paralelamente, pesquisadores da NOAA, o órgão de Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA, relataram uma média de maio ligeiramente inferior a 417,1 partes por milhão. As leitur

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Instagram
  • Facebook Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2016 por Cumulus TV.